A Polícia Federal (PF) deflagrou uma operação na manhã desta terça-feira (19), em João Pessoa, e cumpre mandados em uma residência no bairro do Treze de Maio – região central da cidade. A ação é executada pela Comando de Operações Táticas (COT), unidade de elite da corporação. Moradores relataram muito barulho durante a manhã. Uma granada foi usada durante a tentativa de arrombamento ao imóvel. No local, ao menos três pessoas foram detidas. Entre elas, duas mulheres e um homem. 

Um segundo endereço, no Valentina de Figueiredo, também é alvo de buscas dos agentes. O trabalho trata-se de uma articulação da Superintendência da PF no Rio Grande do Norte. Conforme comunicado da instituição, a operação é intitulada como ‘Veios’ e conta com apoio da Polícia Civil, Polícia Militar e Força-Tarefa de Segurança Pública (SUSP). A ação, de modo geral, visa cumprir 13 mandados de prisão preventiva e 22 mandados de busca e apreensão.

O cumprimento foi determinado pelo Poder Judiciário do Estado do Rio Grande do Norte. Além da Paraíba, há equipes nas ruas de cidades do RN e Pernambuco. Os investigados são suspeitos de integrar uma organização criminosa especializada no tráfico interestadual de drogas e lavagem de capitais. O núcleo concentra-se em uma comunidade do Rio Grande do Norte.

“Durante as investigações, foram identificadas as principais lideranças da facção criminosa, valendo-se de pontos de armazenamento e comércio da substância ilícita, bem como a criação de uma rede estruturada de pessoas voltadas para a traficância. Assim, além dos chefes do grupo, serão responsabilizados, também, os fornecedores e distribuidores da droga”, informou a PF.

Instalação em João Pessoa

A Polícia Federal identificou que a cúpula da organização criminosa instalou-se em João Pessoa e adquiriu diversos bens móveis e imóveis com os lucros obtidos através da atividade ilícita. 

“Os presos nesta operação serão encaminhados para as sedes da Polícia Federal no Rio Grande do Norte, Paraíba e Pernambuco e responderão, na medida de suas participações, pelos crimes de integrar organização criminosa (artigo 2º da Lei nº 12.850/2013), tráfico de drogas (art. 33 da Lei n.º 11.343/2006) e lavagem de dinheiro (art. 1º da Lei n.º 9.613/1998), dentre outros em apuração.

O nome da operação é uma alusão à “Batalha de Veios”, na qual o Exército Romano realizou um cerco à cidade etrusca de Veios, com estratégias bem-sucedidas, que levaram Roma a vitória e conquista daquele território”, completou.