A arte do grafite é uma forma de manifestação artística em espaços públicos. A definição mais popular diz que o grafite é um tipo de inscrição feita em paredes.
Através do projeto Cidade Criativa, ruas, paredes e viadutos de João Pessoa tem ganhado um colorido diferente através das pinturas de grafite.

Algumas das intervenções urbanas com grafite estão estampadas na caixa d’água do Ortotrauma de Mangabeira, feito por Rodrigo Rizo, de Florianópolis, e no Trevo das Mangabeiras, assinada por Patrícia, Dedoverde, Thaynha, Américo, Mulinga e Baby.

A história do grafite tem vestígios desde o Império Romano. Seu aparecimento na Idade Contemporânea se deu na década de 1970, em Nova Iorque, nos Estados Unidos. Alguns jovens começaram a deixar suas marcas nas paredes da cidade e, algum tempo depois, essas marcas evoluíram com técnicas e desenhos.

O grafite está ligado diretamente a vários movimentos, em especial ao Hip Hop. Para esse movimento, o grafite é a forma de expressar toda a opressão que a humanidade vive, principalmente os menos favorecidos, ou seja, o grafite reflete a realidade das ruas.

O diretor executivo da Funjope, Marcus Alves, afirmou que o objetivo do projeto Cidade Criativa é promover um processo de integração cultural e fortalecer todas as culturas da cidade. “As intervenções urbanas farão a cidade ficar mais bonita e os artistas terão espaço para mostrar sua arte”, pontuou.


O grafite foi introduzido no Brasil no final da década de 1970, em São Paulo. Os brasileiros não se contentaram com o grafite norte-americano, então começaram a incrementar a arte com um toque brasileiro. O estilo do grafite brasileiro é reconhecido entre os melhores de todo o mundo.

Sabrina Barbosa