O procurador-geral da República, Augusto Aras, se levantou da cadeira para discutir com um colega e precisou ser contido por seguranças na sessão do Conselho Superior do Ministério Público Federal nesta terça-feira (24). Aras afirmou que o subprocurador Nívio de Freitas não era “digno de respeito”.

Aras anunciou aos colegas que abriria uma votação, ao que foi interrompido por Nívio: “Posso sustentar meu ponto de vista, presidente?”. Aras respondeu: “Pode. Eu só não posso admitir aqui essa bagunça que o colega…”. Neste instante, Aras foi novamente interrompido por Nívio:

“Não, bagunça, Vossa Excelência também interferiu quando o colega estava falando. Então se vossa excelência quer respeito, me respeite também”. Em seguida, Aras retrucou: “Vossa Excelência não é digno de respeito”. O bate-boca começou. Depois de batidas nas mesas dos dois lados, Aras se levantou da cadeira e andou rapidamente em direção ao colega. As imagens mostram um segurança correndo antes de a transmissão de vídeo ser suspensa.

“Vossa Excelência não é digno de respeito”, repetia Aras. Nívio dizia: “Não chegue perto de mim ”.

Segundo colegas, Aras chamou Nívio de “carioca”, ao que ele respondeu: “Exatamente”.