O deputado federal e líder da Maioria no Congresso Nacional, Aguinaldo Ribeiro, lamentou nesta sexta-feira (11), que ja fazem seis meses que a família e a sociedade esperam por justiça no caso da morte de Kelton Marques.

“ Não podemos deixar a impunidade vencer. Casos como esse não devem se repetir e devem ser punidos com o rigor da lei. Vamos trabalhar por um trânsito mais seguro”, disse.

O principal suspeito do crime contra o motoboy ainda continua foragido.

O parlamentar reafirmou também a sua postura de cobrança e trabalho para aprovar a lei Kelton Marques, de sua autoria, e que está em tramitação na Câmara dos Deputados. “Com muito empenho, estamos reunindo as assinaturas necessárias para avançar com o pedido de urgência ao presidente da Câmara, pois a votação e aprovação da Lei Kelton Marques é uma prioridade nossa. Estamos mobilizados nesta causa, para mais conscientização e leis que tornem nossas ruas mais seguras. Além disso, vou continuar trabalhando neste foco, mantendo a cobrança e redobrando os esforços para que o caso de Kelton não caia no esquecimento”, disse o deputado.

O Projeto de Lei 3125/21, que leva o nome do motoboy, prevê que seja responsabilizado civilmente o motorista que provocar acidente com dolo ou culpa e que esteja sob a influência de álcool ou qualquer outra substância psicoativa que altere a capacidade de discernimento.

A proposta busca ainda que o responsável pela colisão também seja obrigado a arcar com os danos morais e materiais provocados à vítima ou à família dela, podendo estabelecer o pagamento de pensão vitalícia caso a vítima seja provedora do sustento familiar e adquira, por conta do acidente, imobilidade permanente.

Em encontro recente com Aguinaldo, o pai e a esposa do motoboy pediram apoio pelo fim da impunidade e ajuda para cobrar às autoridades competentes mais agilidade nas investigações, com a localização do principal suspeito da morte, que teve sua prisão preventiva decretada após a colisão.

No encontro, o deputado prontamente se colocou à disposição para auxiliar a família com seu trabalho parlamentar e engajamento no caso. Aguinaldo destacou ainda que confia no trabalho de investigação da Polícia da Paraíba.