Paraíba é um dos 12 estados do Brasil com grande dependência de dinheiro público. Dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) e do Ministério da Cidadania revelam que o número de paraibanos beneficiários do programa Auxílio Brasil é maior do que o de empregos com carteira assinada.

No estado, 612.051 pessoas fazem parte do programa do governo federal, que tem valor mínimo de R$ 400. O número de empregos, segundo os dados mais recentes de fevereiro, chegou a 431.929 postos de trabalho.

De acordo com o levantamento do site Poder360,  11 estados localizados nas regiões Norte e Nordeste têm situação semelhante à economia da Paraíba. Os dados consideram os 41 milhões de trabalhadores formais que têm carteira de trabalho assinada. Funcionários do setor público e trabalhadores informais não fizeram parte do levantamento. 

Em janeiro deste ano, 2,7 milhões de famílias do país foram incluídas no Auxílio Brasil. Esse fator também contribuiu para a diferença do percentual de pessoas trabalhando com carteira assinada.

Já em março, números divulgados pelo Caged mostraram que a Paraíba começou 2022 com déficit de 984 empregos formais. No primeiro mês do ano houve 14.223 admissões e 15.207 desligamentos.